Quando a Aventura Rola!

Posted: 15th outubro 2010 by Gun_Hazard in RPG
Tags: , ,

Uns dias atrás tinha registrado meu descontentamento pelo fato da minha história, não ter ocorrido como gostaria que ocorresse (Leia Aqui).

Acontece que cheguei a seguinte conclusão:
“O Bom funcionamento das minhas histórias é inversamente proporcional ao tempo gasto em planejamento”

Porquê?
No jogo deste último sábado (09/10), não tive tempo nenhum para preparar a história, tinha já em mente apenas um  dos fatos que iriam com certeza acontecer (que ainda foi interrompido por um jogador com um ataque furtivo) e uma vaga idéia de side-quest.
E mesmo assim o jogo foi muito bom.

Do Começo:
Dois dos jogadores chegaram no horário (só porque um é o dono da casa) e adiantaram suas fichas, o terceiro chegou um pouco depois e foi ajeitando enquanto ia mestrando o desfecho da aventura passada. O Quarto chegou um pouco de tempo depois, mas como não tinha nenhuma alteração a fazer na ficha, já chegou a tempo de prosseguir sem atrapalhar o ritmo (e detalhe que foi ele o autor da façanha do furtivo).

Com o ataque inesperado o jogo prosseguiu sem que isso interferisse no restante da história. Os jogadores continuaram sua jornada até que um ponto começaram a notar algo errado. Inserir uma situação que na segunda vez os jogadores já ficaram desconfiados. A paisagem se repetia, eles passaram por uma lagoa com um pier e uma casinha próxima, mas coloquei como se fosse normal a descrição. Afinal eles não deram muita atenção para a casa na primeira vez que passaram. Nas vezes seguintes descrevi como se estivessem chegado por outro ângulo. Na 4ª vez resolveram investigar.

Encontraram metade de um corpo de uma mulher dentro da lagoa e o clérigo achou por bem enterrá-lo, pelo adiantado da hora passaram a noite na cabana. O Humor dos personagens já estava paranóico, com medo de aquilo fosse culpa de um dentre eles. Agravado pelo feiticeiro ter tido uma visão mágica de morte e mutilações. Somente o bom senso dos jogadores evitou que os personagens se matassem.

Ao amanhacer viram uma caravana passando pelo lugar e pediram para seguir com eles, mas continuavam presos na paisagem que se repetia, mas por incrível que parecesse os membros da caravana nem se deram conta que o rio que ficava a duas horas dali estava demorando mais de 6 para aparecer. Os jogadores abandonaram a caravana e tentaram uma rota nova pelo bosque, apenas para sairem do outro lado da casinha da lagoa.

Pensaram então em investigar os arredores já que estavam ‘presos’, mas como já havia anoitecido de novo deixaram para a manhã seguinte. Durante a noite o meio-vistani foi acordado pelo clérigo dizendo que o feiticeiro e o cavaleiro haviam sumido, saindo para procurar por eles o clérigo some também de perto do meio-vistani como que por mágica e o feiticeiro aparece e revela que matou os dois, o meio-vistani é ferido e acorda, sem saber se aquilo foi relmente um sonho ou ‘o quê?’.

Para piorar o meio-vistani agora tem as iris dos olhos toda vermelho vívido, aumentando a desconfiança dos colegas em relação a ele. Também por ter encontrado o restante da mulher morta no lago em uma cabaninnha de ferramentas a qual ele disse ter encontrado durante um sonho.

Ao amanhacer vão investigar a parte de trás da casa acima do morro e descobrem uma outra casa maior próxima, quando estavam indo lá, são atraídos por gritos na casinha menor, ao chegar encontram os membros da caravana sendo atacados por um humano/humanóide muito forte e deformado.

Os personagens se atracam com a criatura, mas sem conseguri produzir nenhum tipo de ferimento aparente nela.

Infelizmente a esta altura nosso tempo de jogo se acabou e tive de para o combate no meio.

Conclusão:
A aventura foi melhor que o previsto, praticamente apenas o esboço do que teria de ocorrer estava em mente, a maior parte da história e do drama da história ocorreu por causa dos jogadores.

Isso mesmo, se algum de vocês ler isso (coisa que dúvido). Saibam que a história foi boa porque vocês fizeram ela assim. Todos nós contamos esta história em conjunto, eu só acrescento algumas dificuldades e amplio os conflitos e tensões que vocês mesmo colocam na história.

Em vez de dizer: “Quero que aconteça isso!”, Vá atrás ‘disso’ em jogo. Coloque Situações e ganchos que possam ser utilizados na história.

A unica Intervenção que tive de fazer foi com relação a um jogador que não estava conseguindo se conter (falando fora de hora) o qual retirei um ponto de convicção (Pontos Heróicos do TRUE20) como forma de Penalização, mas foi o suficiente para ele se tocar e levar o jogo mais a sério (Aventura retrazada eles descobriram o quanto estes pontos fazem falta durante a aventura).

O Sistema tem funcionado muito bem, os jogadores já estão mais familiarizados com ele, mas ainda tem vicius do D&D. Eles insistem em simplesmente tentar vencer TUDO (inclusive uma elfa camponesa sem nível) na porrada. Um pena, pois isto cedo ou tarde vai acabar por causar a morte de mais um personagem.

Bom é isso. Nos vemos no próximo relato do jogo.

  1. jaguar disse:

    Concordo, foi muito boa, li o artigo (duvidou, dançou), mas algumas coisas que vc exemplifica nos jogadores da mesa, vc faz igualzinho…

    Abraço e continue essa boa campanha.

  2. Gun Hazard disse:

    Um mês atrasado mas beleza.

  3. […] Douglas Vieira (knig… on “Cavar: Comparação de buracos”…Gun Hazard on Quando a Aventura Rola!jaguar on Quando a Aventura Rola!Eder Cruz on “Cavar: Comparação de […]