Recentemente no Blog do Valberto ele comentou sobre jogos de RPG para iniciantes serem mais simples, nisto o Gilson do rpg simples comentou sobre um sistema de rpg de apenas 3 páginas.

Eu vou remar contra a maré!

Não acredito que a chave para elucidar, atrair, cativar, desmistificar seja simplesmente um sistema simples.

Concordo que um sistema pode ser um fator negativo, mas dificilmente será um positivo de grande significância para o gostar ou não do RPG.

Ninguém quando aprende a jogar pensa “Nossa que sistema legal é leve e intuitivo”. Isso são impressões que temos depois de já jogar outros sistemas e temos base de comparação. Neste caso a ambientação ideal (de acordo com o gosto da pessoa em questão) é muito mais importante que o sistema. Por Exemplo talvez um “Potencial Jogador” fique decepcionado ao jogar o tão falado RPG numa ambientação Medieval a qual ele não tem o menor interesse, mas talvez ficasse maravilhado se a ambientação fosse mais para os jogos de ação e espionagem tipo “Splinter Cell” ou “Metal Gear”.

Como disse o que precisamos é aproveitar o interesse do jogador.

Tivemos muitos grupos que tiveram contado com o RPG por razão do sucesso dos Filmes “O Senhor dos Aneis” por exemplo. Uma atitude interessante é pescar a ambientação de maior interesse dos “Potenciais Jogadores”. Uma dica boa para as pessoas que tiverem interesse em criar tais materiais de apoio a iniciantes seria fazer modulos de acordo com várias ambientações diferentes e quem sabe modulos com temas da atualidade como por exemplo “Transformers”, “GI-Joe”, “Harry Potter”, “Crepúsculo”, etc.

Também não acredito que simplesmente com ‘jogos baratos’ ou Gratuitos se corrija a falta de novos grupos mas con certeza eles ajudam muito…

Quando comecei a jogar não tinha livro nenhum jogavamos com regras improvisadas retiradas de fragmentos de vários jogos que chegamos a conhecer por cima com a ajuda de revistas de rpgs, foi assim por uns 6-7 meses até conseguirmos comprar nosso 1º livro. Um dos grupos que ajudei a formar era mais ou menos igual conheci eles, quando jogavam uma versão própria do 3D&T Megaman X, durante o intervalo do Colegial e então foi apresentando jogos novos a eles.

Agora porque digo que só a existencia de ‘jogos baratos’ e gratuitos não é uma solução é porque no meio destes jogos será muito comum termos jogos ruins que invez de despertar o sentimento de “nossa como é Fácil jogar” irão passar a idéia “Nossa que jogo babaca” “Como aqueles marmanjos se divertem com algo tão ridículo?” então a questão é Divulgadores do RPG divulgem apenas jogos que realmente se habilitariam a jogar ou que no mínimo conheçam e divulguem os jogos de acordo com a faixa etária e de interesse dos “Potenciais Jogadores”, para evitar fazer propagandas que podem afastar a pessoa do RPG em vez de aproximá-la.

Novamente defendendo meu ponto de Vista esta abordagem do RPG como algo simples eu recomendo para as pessoas que irão ingressar agora no RPG ou para o Veterano que irá introduzir o RPG como algo ocasional, como por exemplo em um dia chuvoso na casa da práia com todo mundo sem nada para fazer.

Pois caso o contrário eu defendo a idéia que mesmo Jogos Complexos podem ser jogados com jogadores iniciantes de forma normal, bastando apenas o Mestre estar atento as coisas complexas e deixar isto tudo Transparente, ou seja apenas o mestre aplica os efeitos de regas os jogadore apenas dizem o que gostariam de fazer (Pretendo ainda dar dicas melhores sobre isso).

Sobre o sistemas simples em portugues, vou resaltar dois que ví recentemente:

Mighty Blade – que se mostrou um jogo muito simples e ainda assim interessante para um grupo que esteja procurando seu primeiro contato com o rpg, embora no modulo básico falte um pouco mais de ambientação isso pode ser suprido pelos suplementos e pela revista própria deles. As regras são simples e bem consistentes permitindo uma boa dose de criatividade e criação de regras.

Aventura RPG o jogo que o Gilson mencionou é bacana para jogos como o exemplo que dei de jogo ocasional, tipo “não temos nada para fazer? Queren conhecer como funciona um jogo de RPG agora mesmo?”. As regras são até que simples e práticas o ponto fraco é a descrição dadas a elas que ficou muito confusa em alguns pontos talvez um pouquinho mais de didática melhore isso. outro ponto que gostaria de Ressaltar é que o sistema foi desenvolvido (e fica meio clado no inicio) para jogadores veteranos ensinarem sobre RPG. Neste ponto também talvez a ansia por fazer algo em apenas 3 paginas tenha sido o erro, pois muitas coias boas poderiam ser ditas ou melhor esclarecidas. Minha sugestão é que seja feito um Sistema de 5 Páginas uma dedicada a o que é RPG, uma dedicada a quem vai ensinar o que é um jogo de RPG, duas sobre as regras e uma para as fichas.

Bom jogo a todos!

E Aumentem sempre a suas coleções de cabeças de orcs…

  1. Beleza, Gun!

    Gostei dos pontos, mas você focou também na ambientação e está no meio das dicas que tirei do Newton Rocha (www.newtonrocha.wordpress.com), que é usar as ambientações preferidas com os possíveis novos jogadores.

    “Neste caso a ambientação ideal (de acordo com o gosto da pessoa em questão) é muito mais importante que o sistema.”

    A questão dos RPGs simplificados é não intimidar e ser prático para quem vai mestrar no transporte ou para baixar de um lugar com acesso a Internet e iniciar um jogo, mesmo que se tenha apenas uma moeda.

    “nossa como é Fácil jogar” irão passar a idéia “Nossa que jogo babaca” “Como aqueles marmanjos se divertem com algo tão ridículo?”

    Por isso logo em seguida, como está no Aventura RPG, recomendo apresentar novos cenários e sistemas. Usar RPGs simples apenas por uma ou três sessões.

    “Pois caso o contrário eu defendo a idéia que mesmo Jogos Complexos podem ser jogados com jogadores iniciantes de forma normal, bastando apenas o Mestre estar atento as coisas complexas e deixar isto tudo Transparente, ou seja apenas o mestre aplica os efeitos de regas os jogadores apenas dizem o que gostariam de fazer (Pretendo ainda dar dicas melhores sobre isso).”

    Pois é, pode ser interessante, mas imagine a intimidação das fichas e regras, caso o mestre não tenha facilidade em simplificar e apenas contar a história. Gurps, DeD, Mundo das Trevas, Daemon, etc. São tantas informações e ainda temos que considerar as novas informações recebidas (não tem vencedores, interpretar, interagir, imaginar, palavras e termos estranhos naquelas folhas). Acho que quem escapa ainda é o RPG QUEST, mas eu acredito numa maior simplificação, fazendo o RPG QUEST um meio termo até os outros sistemas, na minha modesta opinião.

    Abraços!

    Gilson

  2. * (…) A questão dos RPGs simplificados é não intimidar e ser prático para quem vai mestrar e quer transportar sempre o material (…).

  3. AhAhaHaHaH!! Eu nem fui mais àquela postagem boba com aquelas respostas boba daquele blog. Pior que eu nem falava de RPG, mas da postura de ter conceitos pré-formados sobre qualquer tipo de coisa.

    Abraços!

    Gilson

    • Kaley disse:

      Just the type of inshgit we need to fire up the debate.

    • http://www./ disse:

      Urmaresc de ceva timp blogul tau si pot spune ca sunt fan.Vei avea de altfel si o surpriza sper eu placuta in cursul zilei de azi.Ma bucur ca ai descoperit si blogul meu.In ce priveste postul tau as mai adauga ca omul intr-adevar sfinteste locul, vis a vis de ce zice LiaLia cu zambetul sau in exemplul tau cu batranul, dar la mentalitate mai e de lucru…

    • http://www./ disse:

      I are curious to find out out precisely what weblog system you will be working along with? I’m getting some small security issues with my personal latest blog and I’d like to locate something a lot more safe. Do you’ve got any suggestions?

    • http://www./ disse:

      32 MILLIARD ;;;;; pour un pays en pseudo crise c est bien( oui je dit pseudo car tout notre pognon fait deborder les caisses de bruxelle) Рon pourrait peut etre abandonner ce projet couteux et plus se pencher sur la renovation et l amelioration des infrastructures existantes?de toute fa̤on tout cela va encore nous endetter nous petit et moyen salaire alors que des grand groupes vont encore se gaver et envoyer une grosse partie des benefices dans les paradis fiscaux Рpauvre france !!!!

    • Hey, I finally saw the first Twilight on TV the other night and I laughed all the way through. At the wrong places. But come on, when you realize that Edward ought to have snapped and killed Bella about halfway through the endless question montage you KNOW at least some on the cast and crew aren’t taking it seriously, either.And it’s a butt-ugly ring. I’d tell him come back when his cheap ass has learned some taste.

    • When I left the left and turned right I found new friends who sounded right to me. Even though I miss the friendships of my leftist days,since their complete disorientation to what is right and real and true has totally left them, I feel rightly justified when I read satire like this.From, I left the left and turned right

  4. Mornaax disse:

    Quando comeceu a jogar RPG, com sistema próprio, algumas pessoas falavam que GURPS era horrível-meodeoz-que-absurdo-tem-regra-até-pra-cavar-buraco-meodeoz. Depois que conheci, difícil jogar outra coisa sem lembrar do GURPS…

    Quando introduzo um sistema/cenário/jogo novo, procuro usar personagens prontos diversos e depois vamos cada um construir o seu. Sempre dá muito certo…

    A idéia é todo mundo dividir suas experiências com todos :)

  5. Eu não gosto de 3D&T mas devo dizer que me parece um sistema super simples e capaz de se jogar em qualquer ambientação.

  6. Gun Hazard disse:

    Então voce tem que rever seus pontos de vista Gol…

    3D&T é muito bacana quando o assunto são robos gigantes, herois japoneses tipo Cavaleiros do Zodiaco, Kamen Rider, Jaspion, etc e com aventuras simples que simulem jogos como um Final Fight por exemplo.

    Mesmo animes ou desenhos japonezes mais complexos já começam a esbarrar em problemas com o sistema.

    O Maior ERRO dos responsáveis pelo 3D&T foi tentar tirar o jogo de um nicho que ele funcionava bem, para tentar mentir dizendo que ele é um “Sistema-Genérico-Capaz-De-Qualquer-Coisa”…

    • Micheal disse:

      BY THE GOsnm#8230;.Do&eoSe put that woman in an XXXL straightjacket.Why the hell is she talking like they eat children or something? at least she’s “educated in stuff”Why the hell aren’t those kids and her husband running like their asses are on fire? One good thing is that the kids are out of the house, they seems actually be intelligent people dispite of their mother. Also, she doesn’t need a gastric bypass, she needs a lobotomyGasmonso, what show is this from? I REALLY need to go watch it.

  7. E o que tu recomendaria para crianças de 10 anos?

  8. Guilherme, baseado em minhas pesquisas e experiências recentes eu recomendaria nenhum sistema primeiramente.

    Conte uma história, crie personagens com informações apenas e ensine-os a jogar. Se houver necessidade de um teste invente uma dificuldade na hora e use, de preferência, um dado comum de 6 lados ou uma moeda ou conte o que aconteceu sem usar nenhum lançamento. Para crianças desta idade seria bom um mapa com marcadores para ajudar a visualizar os locais. Nada grandioso, pode ser simples feito numa folha comum.

    Depois que eles entenderem o jogo, eu indico o RPG QUEST.

    Gilson

  9. Gun Hazard disse:

    Eu iria indicar o RPGQUEST também, a inicio, pois é algo como um RPG + Jogo de Tabuleiro, bem lúdico e muito inspirativo.

    (Todos os suplementos são bacanas, mas evite o Templários por causa da polêmica religiosa que ele pode causar)

    Depois se eles quiserem dar mais asas as regras e ao RPG própriamente dito indico o Mighty Blade.

    Depois disto mostre várias opções e deixe eles escolherem a que mais se adequarem.

  10. Obrigado pelas dicas.

    Ocorre que gostaria de mostrar aos meus primos o que é RPG (o que a falta de um grupo não faz!? Lol), porém eles são meio novos ainda.

    Além disso, a resistencia familiar provavelmente seria um fator negativo na apresentação do jogo, e eu não gostaria de ver meus parentes me enchendo o saco porque eu estou “desvirtuando pobres criancinhas”.

  11. Guilherme, use a abordagem da educação:

    Enriquecimento pessoal com as práticas de leitura, escrita e pesquisa (ir atrás de informações históricas, para escrever melhor, etc.)

    No meu blog há um link só de RPG e Educação. Indique para os pais deles e para os seus.

    Gilson

  12. Obrigado Gilson!
    Já havia passado pelo seu blog rapidamente. Pretendo visitá-lo novamente com mais calma.

  13. Bom ponto de vista, Gun!

    Gilson

  14. Cinza disse:

    Realmente, muitos novos jogadores ficam entusiasmados com aquele monte de dadinhos esquisitos, termos, bolinhaa, quadradinho e números. De certa forma torna mais desafiador e interessante o RPG.