Como enlouquecer seu mestre!

Estas são dicas práticas de como transformar aquela aventura chata e sem sal em algo que vai ser lembrado (Ou causar um bloqueio mental), por muito tempo.

A Idéia Original deste texto surgiu quando um colega comentava uma palestra de mesmo nome que ele participou em um EIRPG. Um dos exemplos da palestra em que o mestre em uma Aventura de Horror Call of Cthulhu estava vacilando e os jogadores para se divertirem resolveram bolar um plano para matar o Cthulhu… Mais pra frente eu conto o plano… (Ou não…)

E também pela memorável aventura narrada por mestre Kléééébbbeeerrr, logo no inicio do D&D 3.0 que se tornou o pilar para as bases deste texto, de coisas absurdas como Roubar o mestre nos dados, Um Guerreiro que não falava, a cavalos que escalavam paredes, teve de quase tudo inclusive um “Pedalinho no Inferno”…

 

O Objetivo é deixar seu mestre perdido devido a reação dos seus jogadores ou personagens (Geralmente desconexas), aqui vale de tudo desde ações em jogo até ações meta-jogo ou totalmente off-topic, vale até chamar o entregador de pizza para participar do jogo bem no meio da história…

Porque você iria querer fazer isto?

Eu não tenho a menor idéia… (Embora eu tenha minhas razões para usar estas dicas), se você vai realmente usá-las ou se simplesmente vai ler lembrar de algo parecido que já aconteceu e dar risada sozinho, ou mostrar para seus jogadores (Isto é um risco) dizendo que não é para eles fazerem isto nunca… O problema é seu!

IMPORTANTE: Não me responsabilizo em hipótese alguma sobre reações ou acontecimentos ocorridos em virtude da leitura ou utilização destas dicas.

Vamos lá:

1º Seja inoportuno. (Chato mesmo…)
Na hora de fazer a ficha SEMPRE pergunte pro seu mestre:
“Mestre posso fazer um “Lobisomen-Meio-Demônio-Ranger-Druida-Caçador-de-Vampiros-e-Demônios”?”
Geralmente a resposta será não… De razões para fazer tal absurdo (Espere sempre um não).

No caso de uma negativa faça um personagem normal, mas lembre sempre de, durante a aventura, sempre que acontecer alguma coisa desagradável você lembrar:
“Ta vendo se eu tivesse jogando com um “Lobisomen-Meio-Demônio-Ranger-Druida-Caçador-de-Vampiros-e-Demônios”, isto não teria acontecido!”

Mesmo que a situação para usar tal frase não seja justificável como por exemplo o mestre dizer “Vocês forma convidados para um banquete com o Rei!”…

Na Hipotética situação do mestre se encher de você e permitir você fazer tal personagem apenas diga “Pra falar a verdade faz tanto tempo que queria jogar com um que agora já passou a vontade… Vou jogar de Bardo mesmo…”

2º Critique seu Mestre!
 Use de cutucões no ego do seu mestre coisas do Tipo:
“Caramba, você não tinha uma idéia melhorzinha pra juntar todo mundo no mesmo grupo não?”
“Há eu já vi isto naquele filme “X”, mas que coisa mais manjada”
“Como assim o bicho tava aqui escondido faziam anos só esperando a gente chegar? Como ele não morreu de fome?”
“Como assim tem uma família inteira de dragões, um herói lendário a muito desaparecido e um exército de orcs numa masmorra no porão da minha casa?” (Não riam isto realmente aconteceu)

É difícil um mestre que não se irrite com isto.

3º Atrapalhe seu mestre!
Se seu mestre gosta muito de descrições e pouco de combate corte ele bem na hora que ele estiver empolgado descrevendo alguma cena ou com uma fala de algum NPC com coisas do tipo: “Tá, tá, tá, chega de enrolação e vamos pro combate”, Ou “Minha iniciativa é 17”, ou “Com um 14 dá pra acertar ele bem na cabeça para ele parar com este discurso chato?”

Aqui a dica é ser pró-ativo, não espere seu mestre descrever nada e tome logo a iniciativa:

Apareceu um NPC e o mestre começou apenas a descrevê-lo corte ele com “Ele me parece suspeito eu ataco, 22, acertei em cheio!”. Não dê pausa para seu mestre contestar diga sua ação enquanto já joga o dado e já dê o resultado. Se o mestre pedir para esperar ele terminar, dê o tempo dele dizer mais uma frase e interrompa de novo e diga “Achei que você já tinha terminado…”, caso ele termine e pela descrição a sua ação inicial seja realmente incoerente (Por exemplo o NPC apenas veio dar um informação), continue com a sua ação assim mesmo “Ah eu já tinha dito que ia fazer isto!” ou “Eu não confio em mensageiros mesmo!”, o importante é justificar (ou não…).

4º Estrague os planos do Seu mestre!
– Se seu mestre passou o final de semana inteiro planejando uma aventura em uma Masmorra, arrume motivos para não entrar lá.
– Se algum NPC deu uma dica muito boa de um plano para enfrentar o vilão, conte tudo para o vilão. “Não adianta me prender neste exato momento meus amigos estão vindo escondidos pelos esgotos para me resgatar!” e depois claro dê uma de João-Sem-Braço… “Foi sem querer…”, “Mas nos filmes o pessoal faz isso direto…”
– Se uma vela é o que mantêm os fantasmas afastados de uma sala apague a vela: “Era só para ver o que acontecia…” “Na verdade eu fiz isso era para me esconder dos fantasmas, como eu ia saber que fantasmas enxergam no escuro?”
– Se um Artefato é muito valioso, troque ele por um pedaço de rapadura!

5º Apele para as regras!
Se o mestre fizer algo diferente do que está escrito nas regras reclame e diga que ele está sendo incoerente.
Se for o caso abra o livro de regras e comece a discutir.
Use alegações de “que as regras servem para dar segurança para os jogadores de que o mestre estará sendo justo, e por isso é importante seguí-las”…
Se possível tente buscar alguma regra que possa ser usada contra o mestre:
Por Exemplo, o grupo de Cthulhu da palestra no inicio do texto: eles foram montar a ficha e nas rolagens de atributos 3d6 um dos jogadores tirou 3 de Carisma, No Cthulhu quando um os personagens encontram alguma criatura horrenda (Baixo carisma) eles tem de fazer testes de sanidade para não ficarem loucos, então o grupo fazia o mestre rolar os testes de Sanidade DOS MONSTROS, “Opa mestre este monstro tem carisma 4? Então ele é que tem de fazer o teste de Sanidade quando me vê esqueceu que meu carisma é 3?” O Problema é que o resto do grupo também tomava susto TODA vez que via o colega do grupo e acabou todo mundo ficando louco só por causa disto…

6º Reclame do Uso de regras!
Se seu mestre usar uma regra pouco usada ou usar regras a todo instante reclame do uso constante de regras!
Diga que o uso de regras a todo instante está atrapalhando a diversão…

OBS: Use as dicas 5 e 6 (e vice-versa) de preferência uma seguida da outra (e vice-versa) ou use a que for vantajosa na hora.

7º Altere momentos Sóbrios com momentos Totalmente Incoerentes
(Uma das minhas prediletas)
Jogue de maneira séria e com um personagem sério, mas no meio da aventura surpreenda e faça algo totalmente idiota.

Exemplo 1: Quando seu personagem Bárbaro Sanguinolento, Sádico, Primitivo e Mau Humorado ajudar a resgatar a princesa e estiverem voltando para a capital faça o Barbaro chegar com cara de poucos amigos perto da Princesa e diga: “Menina onde você arrumou este vestido lindo? Arráááásooouu! Aí eu quero um assim para mim… Vai amiga conta tudo… Quem é seu Alfaiate?” Durante todo o percurso de volta solte a Franga e depois da princesa ter partido volte a ser Bárbaro Sanguinolento, Sádico, Primitivo e Mau Humorado…

Exemplo 2: Quando seu personagem inteligente e criativo tiver de se esconder use uma fantasia chamativa e colorida sobre o argumento de: “é Tão óbvio e idiota que tem de dar certo!”
Exemplo 3: Jogue normalmente com um Paladino e no final da aventura quando finalmente peguarem o tal “Cetro Mágico” pegue-o ou peça para quem estiver com ele e quando pegar faça: “Lero-lero, o cetro é meu lero-lero, bando de otários, lero-lero!” ai arreie as calças e mostre a bunda enquanto repete a frase acima, intercalando com uma dancinha ridícula…

Dicas:
– Seja cara de pau, quando der uma idéia idiota ou agir feito idiota fique sério como se aquilo fosse parte do seu personagem, diga que está apenas agindo como o personagem agiria (De certa forma é um argumento 100% válido…) e nunca dê o braço a torcer ou volte atrás. Nada mais desconcertante que algo absurdo dito com convicção!

8º Faça segredo das coisas com seu mestre!
Converse com os outros jogadores baixinho (Sobre besteira mesmo) quando o mestre não tiver prestando atenção e quando ele perguntar o que está havendo diga com cara da Assustado “Nada, nada não” obviamente seu colega irá confirmar daí você semeia a dúvida “Que foi? Você acha que a gente estaria falando mal de você pelas costas ou conspirando contra sua história?”
Está é terrível contra mestres curiosos…

Exemplo: Um Dia estava mestrando e dois jogadores começaram a cochichar, olhei mas deixei quieto! Depois um deles escreveu em um Papelzinho (Geralmente usado para passar informações secretas do mestre para jogador e vice-versa), e passavam pros outros jogadores, eles abriam e riam, daí eu perguntei o que era “Nada” responderam daí continuaram passando e rindo, eu virei e pedi o papel para ver o que era e estava escrito “O Mestre é uma Putinha Árabe”. Não preciso dizer minha cara de idiota como ficou?

9º Jogue contra seu mestre!
Sim o famoso Jogador Vs Mestre, mesmo que seu mestre seja o melhor mestre do mundo e realmente só esteja propondo um jogo divertido e justo haja como se fosse algo pessoal…
Quando acertar um golpe diga: “Se fudeu consegui acertar este idiota!” Quando o mestre disser para fazer um teste e voce passar diga “Achou mesmo que eu não ia conseguir passar neste testezinho de merda?” caso falhe diga “Voce ganhou nesta mas na próxima eu te venço…”

10º Faça ou jogue exatamente o contrário que seu mestre!
Se seu mestre gosta de Interpretação e Descrição, reclame o tempo todo que a aventura tem poucos combates e tente transformar qualquer situação (Mesmo uma simples compra no mercadinho da esquina) em uma batalha sangrenta.

Se for o Contrário e ele gostar de muitos combates reclame que faltam interpretação e descrição e tente transformar qualquer batalha em uma negociação diplomática inteligente e se o mestre fizer os NPCs te atacarem reclame que ele não está sendo justo “que a vida normal já tem muita violência gratuita e o RPG não precisa ser tão cruel assim” (Faça isto jogando com um Bárbaro Meio-Orc).

Se seu mestre for um “meio-termo” intercale, tente transformar uma ação normal em uma carnificina e uma carnificina em uma lição de moral digna de Madre Teresa!

11º Esqueça as coisas de propósito.
Quando o mestre perguntar com quantos pontos de vida você está ou quais magias já usou
Diga: “Como assim? Isso é responsabilidade sua? Você não tava contando? Que mestre mais relaxado…”

Dica: Novamente Cara de pau é tudo.

12º Sacaneie os outro jogadores (Por quê não?)
Se possível haja contra os outros jogadores também (Mas não o tempo todo, pois seu alvo é o mestre, não se esqueça disto…).

Exemplo 1: Numa aventura num EIRPG meu grupo inteiro sentou na mesa com um mestre desconhecido (Um Zé-Ruela brasileiro, mas que não sabia como falar “drop of blood” e “long bow”, em português pois só jogava com livros importados, vai ser alienado assim na PQP… ), estava eu jogando com um Ranger e estava na frente rastreando quando pula sobre mim um leão-das-neves e começa me atacar, rapidamente meu colega ‘K ‘ diz pro mestre “Vou soltar Força de Touro no Leão!”
Exemplo 2: Eu tinha um guerreiro (Aquele Mudo) com trespassar e sempre que ele derrubava um inimigo eu dava o trespassar em um aliado (“Só para não perder a chance de usar o talento”), claro que fazia questão de lutar bem próximo do jogador que tinha rincha pessoal comigo e ainda por cima insistia em não colaborar com o grupo dos personagens… Mas você pode usar isto também contra o mestre e os NPCs…
Exemplo 3: Na mesma aventura do exemplo acima estávamos nos campos do inferno e tínhamos arranjado uma aranhas demoníacas como montaria, depois de subir uma pequena colina lá do alto eu resolvo saltar lá de cima com a aranha, infelizmente o peso do meu personagem com a armadura esmaga minha aranha, eu subo a colina escalando chego no mesmo personagem do exemplo acima tiro ele de cima da aranha dele jogando ele lá em baixo da colina e pego a aranha dele para mim….

13º Roube no jogo!
Se possível Roube mesmo seu mestre.
– Coisas como Pintar os D6s comuns com canetinha transformando todos os lados em 5 e 6 (Já fizeram essa comigo…)
– Usar dados com cores claras ou acrílico transparente e jogar longe do mestre dizer o resultado que você quer e pegar o dado de volta antes do mestre conferir o resultado (é bom ter algum colega do lado de aviso para confirmar que o número foi o que você disse mesmo), e se o mestre duvidar use argumentos “Você acha que estou Roubando? Que que há?” (Novamente a cara-de-pau), Ou “Você que ta me roubando querendo que jogue de novo. Caiu 17 mesmo, o João viu…”
– Se com a dica 11 o mestre não aprendeu a anotar seus pontos de vida roube sempre neste sentido.
– Se o mestre não sabe os limites de uma magia que você use, crie você mesmo os limites (Já vi um jogador usar “Trasnformação Momentânea” de 1º Circulo para virar águia e ficar soltando fogo grego infinito lá de cima em tudo que era inimigo…)

14º Intimide os NPCs intimidando o mestre.
Se seu mestre for inseguro faça a festa, aproveite a insegurança dele para literalmente MANDAR na aventura.
Exemplos:
“Olha aqui seu Dragão Filho-da-Puta, você fica quieto e me obedece se não você vai ver o que te acontece…” Faça isto mesmo que você seja de Nível 1 (Já ví funcionar!)…
 ” Você ta pensando o quê? Só porque você é Rei você pode fazer o que quiser? Eu nem votei em você mesmo” (Só porque eu tinha de Citar Monthy Pyton ou não seria feliz)

15º Narre o que voce quer o mestre é opcional!
Ainda aproveitando de um Mestre Inexperiente… Porque esperar o mestre dizer o que vai acontecer se você mesmo pode fazer isto? Se a aventura está chata faça ficar no mínimo divertida…

Exemplo:
Mestre K tentando ser sério:
– Vocês estão lá na margem do Rio Stige e vem o Barqueiro Caronte com a barca para transportar vocês para os Reinos Inferiores.
Eu com cara de Criança empolgada com brinquedo novo:
– Mestre o Barco tem forma de Cisne?
Mestre K Assuntado:
– Não!
Jogador 2 ajudando:
– É K e ainda por cima é Pedalinho!
Mestre K Bastante Assuntado:
– Não vocês tão loucos?
Jogadores em coro reclamando:
– É K, deixa fica legal! Deixa vai!
Mestre K Desolado:
– Ta Bom vai…
E lá se vai o perigoso grupo formado em sua maioria por personagens psicóticos atravessando o Rio Stige em um Pedalinho em forma de Cisne em direção ao Inferno!

 

Conclusão:
Eu poderia gastar mais alguns parágrafos falando sobre como usar estas dicas com moderação, que é importante conhecer seu grupo e seu mestre para que as brincadeiras sejam levadas todas no sentido de brincadeira, evitar usar quando o grupo está levando a aventura a sério e que ninguém se divertiria caso você estrague tudo sendo um perfeito babaca, mas não vou fazer isto!

Se vire sozinho com seus problemas!

Eu quero é ver o circo pegar fogo!

E Cuidado se você costuma mestrar no EIRPG e ver um Grupo com Um Cara de barba mal feita e camiseta dos Ramones, Um baixinho, Um Gordinho e um Cara Magrelo, se dirigindo a sua mesa…

  1. Douglas disse:

    Alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo, rsrsrs
    cuidado, um dia você é pedra no outro é a vidraça, rsrsrs, abraços

  2. Gun Hazard disse:

    Normal Isso Douglas eu mesmo não disse que também sou vítima destas técnicas de vez em quando…

  3. FenrirX disse:

    Olá pessoal do Falha Crítica! Estou indicando vcs para o Meme Olha que blog Maneiro! Saca só:
    http://cavaleirosdasnoitesinsones.blogspot.com/2009/02/meme-olha-que-blog-maneiro.html

    Abraços!

  4. Luminus disse:

    Texto interessante… desprezível, mas interessante. E devidamente respondido em meu blog:

    http://luminusrpg.blogspot.com/2009/02/aos-mestres-com-carinho-como-sobreviver.html

    E!

  5. Alexandre disse:

    Kra… adorei!! É fenomenal XD
    Só que… Sou eu quem sempre mestra no meu grupo, entao… tem como fazer tb algum “guia” no estilo… “Como Não Deixar Com Que Os Jogadores Te Enlouqueçam” ou “O Que Fazer Para o Grupo SEMPRE Cooperar Na Aventura” ou talvez “Como Faço Para NAO Encontrar Um Grupo Com:
    ->Um Cara de barba mal feita e camiseta dos Ramones;
    ->Um baixinho;
    ->Um Gordinho e
    ->Um Cara Magrelo”

    XD!!! (só testando a cara de pau) XD!!!
    flows, e… tenta fazer 1 dos dois topicos ^^”
    obrigado a comprençao…
    Abraços e Parabens a todos que fizeram/ajudaram na criaçao desse “guia” ^^”

  6. […] Leia a matéria do Gun Hazard também sobre o assunto. […]

  7. Julio Leal disse:

    Nossa… nunca li algo tao inutil sobre RPG!!!
    =P

  8. Gun Hazard disse:

    Obrigado Julio a intenção foi esta mesmo…

    Espero que pelo menos tenha se divertido um pouco com o texto.

  9. Gabriel disse:

    Boa mas tem um pequeno erro,irrita um mestre num dia ruim pra você ver,aprendi que nunca se deve provocar um cara que pode fazer o teto misteriosamente desabar em você causando 2d100 pontos de dano ou colocar simplismente uma horda de monstros atras de você só porque você matou aquele globlin que não sabia que era amigo do rei orc super poderoso.Mas de vez em quando é até bom…

  10. Gun Hazard disse:

    Seja bem vindo Gabriel.

    Isso é o de menos, fazer outro personagem, por que o mestre matou o seu só de birra é simples: coloque uma vogal ou consoante a mais no final nome da ficha de personagem e diga ao mestre:

    “Porque vou ter de fazer outra ficha se o fundo ela vai ficar igual essa? Para de encrencar a continua com a sua parte de mestre que eu continuo com a de jogador”

  11. Curti muito!!! Já fiz essas sacanagens muitas vezes, sou o cara mais chato quando quero, ou mais divertido, depende do ponto de vista.

    Já matei vários personagens de um mesmo jogador na mesma aventura, e todos sempre riam a cada vez, pegava eles sempre pelas costas. Ele desistiu de bater de frente e veio como Paladino puxa-saco.

    Já joguei meio-irmão na lava, e ainda joguei uma adaga para ter certeza de que tinha morrido, todos riram muito, menos o jogador que perdeu seu druida-clone pela enésima vez, ele só fazia druidas, e era muito chato, então tinha mais que morrer mesmo. Tentou vir como meio-irmão para ver se eu teria pena, mas não teve jeito. Sem falar que foi legítima defesa, ele estava conspirando para matar meu pobre Thief.

    Já empurrei PC do precipício sem motivo algum, essa é clássica.

    Já levei o único clérigo do grupo para a morte, pois eu tinha como me virar se desse merda, estávamos num navio e havíamos chegado à noite perto de uma ilha desconhecida, lançamos a âncora próximo da ilha, mas ninguém tinha coragem de ir nela à noite para investigar. Chamei o Clérigo, pq se desse merda, ele me curaria, mas acabamos encontrando 3 leucrottas, eu era um psiônico, e estava com poucos pontos de poder, só consegui levitar e subir numa árvore, mas ele não conseguiu escalar, fiquei assistindo ele ser devorado, ao descer de manhã, quando as criaturas já tinham ido embora, peguei os itens mágicos dele e um pedacinho de osso pra tentar ressuscitá-lo depois. Este jogador quase chorou de raiva nesse dia, mas foi muito divertido no final.

    Sempre que a coisa tava chata, eu inventava de tacar pedra num NPC, só pra chamar a atenção. Nessa época eu era muleque e me divertia assim, sacaneando geral. Fiz um Jester que zuava geral, e não morria por nada, parecia ter 7 vidas, o bicho tinha muita sorte.

  12. Jenn disse:

    It’s a joy to find somneoe who can think like that

  13. – Pretty girl!!! I had no idea you were in the hospital until I read this post!! Sorry to hear you had to go through all that. Will be praying for you and a speedy recovery! *hugs*

  14. http://www./ disse:

    Tam: The Taliban wing of the Republican Party keeps getting zealots nominated because they very actively participate in the party.Not because they have a majority.They represent less than 10% of Americans. But they are active in the local party, so they get their folks on the ballot.As long as normal people stay home and let them run the party, the party will continue to fail. Once it goes completely off a cliff, this same crowd will run to the next conservative replacement party, and proceed to run it off a cliff as well.

  15. brancas. É calça, camisa, sapato e cueca. Tudo igual. Para você que curte seguir a tradição, já fiz um post aqui explicando como você pode usar roupas brancas em variadas situações. Porém, o branco (dizem as superstições) é para trazer paz no ano que chega, né? Para quem