Meu grupo de RPG sempre encarou se reunir para jogar como evento social o jogo em si era o menor dos problemas, mas nem todo os membros do grupo pensavam dessa forma não que esses jogadores se importavam apenas com o jogo, mas também se importavam com o jogo.

Por diversas vezes nos meus mais de 10 anos como narrador oficial de Vampiro: A Máscara em meu grupo fui cobrado por alguns jogadores que queriam seções de jogos mais ambientadas e ai vem a pergunta qual a melhor maneira de se fazer isso?

Eu usei de diversos artifícios, mas confesso que nunca fui muito bom, primeiro eu fui pelo mais obvio musica, deu certo nos primeiros 30 minutos depois disso os jogadores se acostumaram e o clima foi deixado de lado, nesse caso eu recomendo que os narradores usem musicas somente em certos momentos e não durante toda a seção.

Outro artifício que eu sempre usei e uso ate hoje é uma poesia de abertura dentro do contexto de algo que aconteceu na sessão anterior ou que esta prestes a acontecer ajuda muito a prender a atenção dos jogadores no começo.

Um amigo (Daniel) que também narra Vampiro: A Máscara foi um pouco alem disso, me lembro de ema de suas historias onde ele separou o grupo de jogo em duplas ou trios nos deixando em quartos escuros e posteriormente apareceu trajando um manto negro no estilo morte e carregando uma tocha acesa,  começou a narrar dessa forma interpretando uma criatura sombria e não como “Daniel” o cara narrava esporadicamente para o grupo. Isso foi simplesmente fora de serie para mim vou me lembrar eternamente daquela noite de jogo.

  1. Gun Hazard disse:

    Promover a imersão no meu grupo é um grande problema.

    Por sincronia já estava pensando em escrever algo relacionado ao jogo deste sábado, então vou postar um tópico novo que será mais ou menos uma resposta para este, ou então coloco depois aquí minha opnião de forma mais pessoal e simplificada…

  2. cristianobomdia disse:

    Manda ver cara seria legal ver outras visões sobre o assunto…..